Meu mundo

3 de novembro de 2010
Texto para refletir profundamente sobre a política brasileira

A Cotovia e os Sapos
Era uma vez uma sociedade de sapos que viviam no fundo de um poço escuro e profundo, do qual nada se via do mundo exterior. Eram governados por um enorme sapo-chefe, mas a classe de trabalhadores mais chegada ao tirano o chamava de Cardosão. Ele se dizia soberano naquele lugar e era dono de tudo que saltava ou rastejava. Todos os sapos trabalhavam para ele. Não movia uma palha. A coletividade de sapos era obrigada a trabalhar naquele ambiente fétido e úmido para encontrar no lodo, vermes e insetos para engordar mais ainda o sapo Cardosão. De vez em quando vinha uma cotovia excêntrica que voava dentro do poço e contava para os sapos as maravilhas que vira em suas viagens pelo imenso mundo lá fora. Falava do sol, da lua e das estrelas, das montanhas altaneiras, dos vales férteis e dos vastos mares, e ainda da delícia de explorar o espaço infinito. Sempre que a cotovia chegava o sapo Cardosão recomendava aos sapos trabalhadores que ouvissem atentamente tudo o que aquele pássaro amalucado tinha para contar.
O sapo Cardosão, que era meio surdo e de cultura duvidosa, nunca sabia direito o que a cotovia estava dizendo e falava para os trabalhadores que a cotovia se referia "à terra feliz para onde vão todos os sapos bons..." Uma parte dos sapos trabalhadores acreditava no que o sapo Cardosão dizia e ficava cética em relação ao que a cotovia falava. Outra parte, menos expressiva, começava a ficar encantada. Entretanto, havia entre eles um sapo-filósofo (um tal de Inácio da Selva), que formulara uma idéia nova e interessante a respeito da cotovia. "O que a cotovia diz não é exatamente uma mentira", dizia ele. "Nem é loucura. Na verdade, ao falar dessa maneira esquisita, ela está se referindo ao lugar maravilhoso em que poderíamos transformar esse poço, se quiséssemos. Quando ela fala do sol e da lua, está se referindo às magníficas formas de iluminação moderna que poderíamos adotar para eliminar as trevas em que vivemos. Quando canta céus altos, refere-se à saudável ventilação de que deveríamos gozar, ao invés dos ares úmidos e fétidos a que nos acostumamos. E o mais importante: quando a cotovia enaltece o vôo altivo e livre entre as estrelas, refere-se à liberdade que todos teremos quando nos livrarmos da opressão do sapo-chefe. Vêem? Não devemos desdenhar o pássaro. Em lugar disso, ele deve ser apreciado e louvado por nos proporcionar uma inspiração que nos livra do desespero". O sapo Inácio virou a cabeça dos sapos trabalhadores. Eles agora passaram a olhar a cotoviacom outros olhos. Não demorou muito e fizeram a revolução (elas sempre acabam vindo). Os sapos trabalhadores pintaram a imagem da cotovia em seus estandartes e marcharam para as barricadas, fazendo o máximo que podiam para, com o seu coaxar, imitar o belo canto daquele amável pássaro.O sapo-chefe Cardosão foi derrubado de seu poder. O poço escuro e úmido tornou-se magnificamente iluminado e ventilado, transformado em um lugar muito melhor para viver. Além disso, os sapos experimentaram um novo e gratificante lazer, acompanhado de muitas delícias dos sentidos - justamente como o sapo-filósofo havia previsto. Mas a cotovia continuou fazendo visitas ao poço, contando histórias do sol, da lua, das estrelas, de montanhas, vales e oceanos e esplêndidas aventuras vividas nos céus. O sapo-filósofo mais uma vez entra em ação: "Quem sabe esse pássaro não seja mesmo maluco? Já não temos necessidade dessas canções enigmáticas. E, seja como for, é muito cansativo ter de escutar fantasias quando já perderam sua relevância social". Vai daí, um dia a comunidade de sapos conseguiu capturar a cotovia. Empalharam-na e colocaram-na no recém-construído Museu Cívico com entrada gratuita em lugar de honra...

Texto exemplar e produtivo da sociologia.
E agora, perdendo um pouco a qualidade (eu sei), vai aí o meu texto...

Alto plano de consciência
Autor: Samuel Nascimento
 
A cada movimento há um cuidado 
A cada sentimento há um machucado
A cada escolha uma nova vida
E a cada reflexão um opinião incluída
É sempre bom o questionamento
Que hoje é visto como o crime do momento
Mas que faz a diferença na sociedade
Que busca no dinheiro a artificial felicidade
Me sinto um deslocado nesse lugar
Com pessoas rindo da forma d'eu me expressar
Indivíduos que sofrem com a própria solidão
De não achar a constante felicidade que há na imaginação
O mundo onde clareia as oportunidades
Almeja a criação e expandi a criatividade
Aumenta o poder da visão e me faz apreciar a saudade
Que há em todo homem que carrega consigo a amizade
Sorriso, afeto e amor
Segredos de alegria que levo para onde for
De pedal No fim de mais um dia
Caminhando para a imensidão da curta vida.
Eu sigo, curtindo essa vida!

 

Esse desenho é de autoria de Lucas Macaco, meu irmão que tem um blog,hoje esquecido, mas com boas palavras, com seus ótimos desenhos acompanhados de frases e muito mais. Vale a pena uma leitura! clique aqui!

Frase do dia

"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses." - Socrátes

Comece por hoje a se conhecer, verás o quão bom é o universo do EU, e terás seus próprios deuses consigo. Abraço a todos os leitores, paz. Samuel Nascimento

4 Críticas:

  1. meu conhecimento de política e zero, mas bela "fábula"

    =D

    O melhor blog do meu .... Bairro !!!
    http://blogdocharque.blogspot.com/

  1. Po, legal, ta faltanto pessoas como vc...
    Escreves muito bem..abraçs

    ~> http://minbr.blogspot.com/

  1. 'eu continuo com a idéia de um texto de cada vez, porém dessa vez eu consegui entender a ligação!
    então, o primeiro texto é clássico e muito, mesmo que eu não concorde muito com ele..afinal, nem o sapo-chefe nem a cotovia são os donos da verdade, afinal a verdade é relativa e vai depender da percepção de cada um ;)
    'quanto ao teu texto meu bem, tá ficando cada dia melhor! me orgulho de ti. é isso, continuemos em busca do auto-conhecimento.
    paz e luz.

  1. Não conheço muito de política mais essa fábula é muito bonita!Bjs

    http://wwwmusicsworld-rafaella.blogspot.com/

Postar um comentário

Expresse sua opinião

Visitantes online